Como Cultivar Relacionamentos de Sucesso

Um dos melhores caminhos para você cultivar relacionamentos de sucesso é se fazer a seguinte pergunta: Se (espaço) morresse hoje, …

Compartilhe

Um dos melhores caminhos para você cultivar relacionamentos de sucesso é se fazer a seguinte pergunta:

Se (espaço) morresse hoje, você se arrependeria de não ter feito algo?

Substitua esse espaço por pessoas que você ama.

Se sua esposa, se seu esposo morresse hoje, você se arrependeria de não ter feito algo?

Caso sua filha ou filho morresse hoje, você se arrependeria de não ter feito algo?

E se seu pai morresse hoje, você se arrependeria de não ter feito algo?

Por outro lado, se sua mãe morresse hoje, você se arrependeria de não ter feito algo?

Bom, você entendeu a ideia.

“Nossa Alan, que fúnebre!”

Uma Pergunta Estóica

Eu sinceramente achava que eu era o único maluco que me fazia essas perguntas, até descobrir que é uma pergunta que os antigos estóicos já se faziam.

Pode até parecer tortura, mas não é.

A morte é uma grande aliada para revelar as coisas que realmente importam e nos ajudar a cultivar relacionamentos de sucesso.

As pessoas que vivenciam experiências de quase morte sempre retornam com um ponto de inflexão em suas vidas.

Aquela experiência normalmente transforma totalmente a forma como vivem.

E as vezes isso acontece quando perdemos alguém próximo.

Minha mãe quando perdeu minha vó por exemplo, começou a demonstrar mais seus sentimentos, pois ela nunca disse para a própria mãe que a amava e isso doeu muito nela.

Mas talvez se ela tivesse feito esse exercício, ela teria falado.

Lembro até hoje a primeira vez que eu me fiz essa pergunta.

Na época eu namorava a Indi que é minha esposa e eu lembro que eu era tão apaixonado que se eu ficasse um dia sem falar com ela por telefone, eu nem conseguia dormir.

Um dia eu estava no ônibus e comecei a pensar no pior…

Se eu não consigo ficar um dia sem falar com ela, imagina se ela morresse?

Eu lembro que pensei, imagina se ela morresse hoje.

Na hora que pensei isso começou a escorrer lágrimas como se eu tivesse ligado uma torneira nos meus olhos.

Eu consegui segurar os soluços, mas as lágrimas eu não consegui.

Imaginar que alguém próximo seu morreu é sem dúvida doloroso.

Mas existe uma grande ferramenta que eu quero mostrar para você cultivar relacionamentos.

A Ferramenta Para Cultivar Relacionamentos

Enquanto eu estava lá de pé no ônibus lotado, voltando para casa no meio de um monte de operário suado cheirando mal depois de um dia intenso de trabalho, eu pensei:

O que eu teria feito diferente?

O que eu teria feito que não fiz se ela tivesse morrido?

Eu pensei que gostaria de ter passado mais tempo com ela.

Gostaria de ter conversado mais com ela por telefone.

Neste dia eu liguei pra ela de noite e fiquei horas falando com ela, sempre que ela ia desligar eu puxava um novo assunto.

Talvez ela só vai entender isso hoje, depois de 10 anos porque aquele dia eu estava tão tagarela, mas eu não queria perder 1 minuto da voz dela.

É isso o que a morte faz: nos revelar aquilo que realmente tem valor.

No outro dia eu peguei o ônibus e sentei no fundo dele.

Como eu morava na parada que ele iniciava o trajeto, tinham poucas pessoas.

Resolvi me fazer a mesma pergunta depois de ter passado a noite falando com ela.

Se chorasse não ia ter tanta gente para ver.

Me perguntei:

“E se ela morresse hoje, do que me arrependeria de não ter feito?”

Lá começaram as lágrimas a escorrer de novo e dessa vez eu não precisava segurar o soluço, porque não tinha ninguém do meu lado.

Chorei por duas paradas, na terceira entrou muita gente e precisei segurar o choro.

Enquanto segurava o choro me dei conta que estava chorando até mais que ontem, mas resolvi me perguntar de novo, pois choro não é uma resposta.

“E se ela morresse hoje, do que me arrependeria de não ter feito?”

Eu pensei que gostaria de ter passado mais tempo com ela.

Cultivar Relacionamentos Para Não Se Arrepender

Naquela época eu só via ela aos domingos, achei uma forma de conseguir ver ela aos sábados também.

Ela morava a 3 cidades de distância da minha.

Por isso, eu tinha que pegar 3 ônibus e 2 horas de estrada para chegar na casa dela.

Fazer isso sábado e domingo era tenso, mas logo achei uma forma do sogro deixar eu dormir lá.

Confesso que me vendi: me tornei músico na igreja que ele era pastor pra ele me deixar dormir na casa dele.

Mas eu sabia que valia a pena, porque essa era a resposta do que eu me arrependeria: não ter passado mais tempo com ela.

E agora eu estava fazendo TUDO, TUDO que estava a meu alcance de passar o maior tempo possível com ela e com a melhor qualidade.

Me senti feliz, me senti em paz.

Estava cumprindo uma tarefa muito importante na minha vida.

Em um dos domingos que voltava da casa dela, aproveitei que ela também morava no final da linha de ônibus e não tinha ninguém no ônibus comigo, então me perguntei:

“E se ela morresse hoje, do que me arrependeria de não ter feito?”

Deu um nó na garganta, os olhos começaram a coçar, mas logo eu abri um sorriso.

Eu estava em paz.

Não em paz com a morte dela, imaginar isso tinha me dado um embrulho no estômago e um nó na garganta que eu nem consegui engolir.

Mas estava em paz porque eu sabia a resposta desta pergunta:

Eu não me arrependeria de nada.

O Sucesso Em Cultivar Relacionamentos

Esse momento foi um marco muito grande na minha vida.

Eu comecei a usar essa pergunta para todas pessoas que eram próximas a mim e até sentir essa paz, eu fazia tudo que eu poderia para cultivar relacionamentos de sucesso.

Pedi desculpas para pessoas que eu nunca imaginei que perdoaria, abracei pessoas que não me abraçavam.

Essa pergunta me fez agir de formas que eu nunca agiria se a não tivesse feito.

Apesar que me trouxe tanta dor na primeira vez que a fiz, é a pergunta que até hoje me traz mais paz.

Além disso, fazer essa pergunta virou uma prática frequente na minha vida, onde examino todas as pessoas que são próximas e importantes para mim.

Eu escolho uma e me pergunto.

E se ela morrer, o que eu me arrependeria de não ter feito?

Em 2017, quando fiz esse exercício pensando na minha irmã, me veio na hora uma dor.

Eu já tinha falado muitas vezes do marketing digital para ela, mas ela não dava muita atenção.

Só que ela estava vivendo uma vida triste, presa na faculdade, no trabalho e no relacionamento que ela não gostava.

Vivendo no piloto automático.

Um amigo meu naquela tarde tinha me falado que gostaria muito de ajudar o irmão dele a trabalhar com marketing digital.

Uma Reflexão Que Mudou Tudo

Lembro que enquanto ele falava isso eu pensei: “bom eu posso fazer pela minha irmã”.

E naquele dia de noite eu me fiz essa pergunta mencionando ela.

Me veio na hora que eu me arrependeria de não ter dado uma oportunidade REAL para ela conhecer o marketing digital e se mudar para Florianópolis.

Resultado dessa reflexão?

Convidei ela para largar a faculdade e o emprego e se mudar para Floripa no intuito de aprender gestão de tráfego comigo.

Ela aceitou e em poucas semanas já estava gerenciando os anúncios de um projeto meu que faturava mais de 7 dígitos por mês.

Ela mudou completamente de vida, ficou mais feliz, com mais dinheiro e morando em um lugar muito melhor, até o relacionamento mudou para melhor.

Hoje ela é extremamente grata a mim e eu a ela, pois ela vem me ajudando muito nos últimos anos. Valeu a pena cultivar relacionamentos de sucesso.

Mas percebe que tudo isso, foi por essa simples pergunta?

Uma pergunta que evita arrependimentos futuros, quando essa pessoa importante para você partir.

E coloque isso na cabeça: ela vai partir, talvez mais tarde que você, talvez mais cedo.

Mas não é bom estar de mente tranquila se ela for mais cedo que você?

Se essa pergunta mexeu com você, te convido a ouvir o episódio #012 O Poder de Fazer Perguntas / Parte 2 do podcast Vida Lendária.

Continue Lendo

Mais >