Você Está Pronto Para Morrer? | Vida Lendária

Você está pronto para morrer para sua versão atual? Você realmente quer ter uma nova vida, uma vida com mais …

Compartilhe

Você está pronto para morrer para sua versão atual?

Você realmente quer ter uma nova vida, uma vida com mais propósito, mais realizações, uma vida que merece ser lembrada, uma vida Lendária?

Então você precisa aprender a morrer e é sobre isso que vamos falar nesse post.

No post anterior “Você Se Conhece? Você Realmente Sabe Quem Você É?” nós desconstruímos juntos a sua identificação com rótulos, com seu corpo e com quem você pensa que é.

Para isso nós descemos 3 níveis de consciência da sua identificação com o EU.

Existem muitos outros níveis, mas esses são suficientes para você entender uma mensagem central:

Você é um fluxo.

Um fluxo de rótulos, um fluxo de átomos, um fluxo de pensamentos.

Você está constantemente mudando quer você queira ou não.

É importante que você tenha entendido e aceitado esse conceito.

Se você ainda não entendeu ou ainda possui dúvidas, retorne ao Você Se Conhece? Você Realmente Sabe Quem Você É? e releia as partes que não ficaram tão claras. 

Caso você ainda não tenha lido, eu recomendo que leia, pois essa é uma continuação prática do conteúdo deste post.

Bom, preparado para começar a aprender a morrer?

Pronto Para Morrer: Duas Lições de Bruce Lee

Em Fevereiro de 1971 uma série chamada Longstreet foi transmitida pela TV americana ABC.

Nela Bruce Lee, interpretando o instrutor de artes marciais Li Tsung, fez duas citações que estão diretamente conectadas com nosso post.

A primeira citação é:

“Esvazie sua mente, seja sem forma, sem contornos, como a água.

Você coloca água em um copo, ela se torna o copo.

Você coloca água em uma garrafa, ela se torna a garrafa.

Você coloca água em uma chaleira, ela se torna a chaleira.

A água pode fluir, ou ela pode destruir.

Seja água meu amigo.”

Bruce Lee

O que Bruce Lee falou em ser como a água é exatamente aceitar esse estado líquido que somos.

Nós somos um fluxo e no momento que entendermos isso vamos entender que assim como a água, podemos assumir qualquer formato ou rótulo. Não somos presos ao que achamos que somos.

A conversa continua e ele chega em outra citação que ficou famosa:

“Como todo mundo, você procura aprender como vencer, mas nunca como perder — como aceitar a derrota. Aprender a morrer é se libertar da morte. Então, quando amanhã chegar, você precisa se livrar da sua mente ambiciosa e aprender a arte da morte.”

Bruce Lee

Quando eu li essas duas falas dele, as duas estavam conectadas exatamente com esse conteúdo que estou passando para vocês.

Primeiro ele falou sobre ser como a água, ser em um estado líquido, ser o fluxo.

Depois ele falou sobre aprender a arte da morte. Estar pronto para morrer.

Exatamente como eu tinha organizado o conteúdo do episódio #002 – Quem é Você? e o #003 – Aprendendo a Morrer, do podcast Vida Lendária.

Uma coincidência bem interessante.

Talvez não seja apenas uma coincidência, talvez esse seja o processo natural.

Você Nunca É, Você Sempre Está

Primeiro aceitar que você é a mudança: você nunca é, você sempre está.

Você não é gordo. Você está gordo.

Você não é pobre. Você está pobre.

Você não é indisciplinado. Você está indisciplinado.

Você não é ansioso. Você está ansioso.

Você não é uma pessoa triste. Você está triste.

Talvez se simplesmente começarmos a aceitar que não somos, nós estamos.

Talvez isso seja o suficiente para uma grande mudança.

E o que vem depois?

Vem a morte e não estou falando da morte que você deve estar pensando.

Não da morte onde seu coração para de bater.

Estou falando da morte da sua identificação com quem você acredita que é.

Vamos fazer um exercício de memória.

Eu quero que você reflita comigo se isso já aconteceu com você:

Você tem amigos que você adorava conversar, mas depois de um tempo você foi encontrar eles de novo e parecia que algo tinha mudado.

Você não se conectava mais com eles e por algum motivo o assunto que eles estavam falando não te interessava, mas antes era tão legal sair com eles, era tão divertido conversar com eles.

Algo estava diferente, no começo talvez você não sabia se era você ou eles, mas algo tinha mudado.

Então aos poucos você percebe que aqueles assuntos eram os que vocês conversavam, mas agora você não vê mais sentido em ficar falando sobre aquilo.

Em ficar falando durante horas sobre a vida das outras pessoas, sobre um time de futebol, sobre coisas do passado.

Isso aconteceu várias vezes comigo.

Grupos de amigos que eu adorava sair e passar tempo com eles, comecei a perceber que não fazia mais sentido.

Os assuntos não me interessavam mais, a forma como eles pensavam me incomodava.

Pronto Para Morrer: O Nascimento De Uma Nova Versão

Em algum momento eu me identifiquei com aquilo, logo em algum momento eu fui como eles.

O que mudou?

Aquela versão de mim morreu. Eu estive pronto para morrer e, então, morri para minha antiga versão.

É bem provável que você já tenha morrido algumas vezes, só não tem consciência disso.

Existe uma frase que eu gosto muito e não lembro o autor, mas ela é mais ou menos assim:

“As pessoas mais interessantes que conheço são aquelas que mais se reinventaram ao longo da vida.”

Autor Desconhecido

E agora você vai entender que o reinventar dessa frase significa: as pessoas que mais morreram ao longo da vida.

Se você pegar uma foto sua antiga de 5 ou 10 anos atrás, você vai notar que algumas coisas mudaram.

Seu visual provavelmente mudou.

Eu 8 anos atrás gostava de usar camisetas com estampas grandes das marcas.

Adorava sair com um símbolo da Nike ou Adidas que quase fazia a volta na camiseta.

Usava calças jeans cheias de bolsos. Um cinto XXL de tecido caindo sobre a calça.

Um tênis grande de esqueitista. Uma munhequeira no braço esquerdo.

Eu me sentia o máximo com essa roupa.

Hoje, se eu colocasse essa roupa ninguém me reconheceria à primeira vista.

E não estou dizendo que é uma evolução usar roupa sem estampa, calça jeans com apenas uma cor e sem bolsos e uma bota.

Não, longe disso.

Mas esse é um exemplo claro que eu mudei.

E as roupas são apenas uma externalização da nossa identidade.

A Morte Consciente e Intencional 

Muita coisa mudou além das minhas roupas e muita coisa mudou para você nos últimos 8 anos também.

Se você aprender a morrer de forma consciente e intencional você não vai precisar esperar 5, 10 anos para ser a sua próxima versão.

Você consegue se tornar sua próxima versão em 6 meses, talvez menos.

Qual é sua próxima versão? Você está pronto para morrer?

Continue Lendo

Mais >