Uma Vida Lendária

Olá e seja bem-vindo de volta! Chegamos ao final dessa série inicial de 4 posts (transcrições do meu podcast, Vida …

Compartilhe

Olá e seja bem-vindo de volta! Chegamos ao final dessa série inicial de 4 posts (transcrições do meu podcast, Vida Lendária).

Se você está gostando fica tranquilo que o podcast vai continuar.

Eu digo série inicial porque esses 4 episódios são os pilares de toda essa jornada.

Hoje vamos falar sobre o que é uma Vida Lendária e como você pode identificar a sua!

o que é uma vida lendária?

O que é uma Vida Lendária?

Quando você pensa em uma vida lendária, o que vem na sua mente?

Eu queria muito saber no que você pensou, mas como eu não eu sei eu vou chutar com base no que outras pessoas me falaram quando eu perguntei isso pra elas.

Viver uma vida de grandes realizações, com liberdade pra gastar quanto e como você quiser.

Uma vida onde você é alguém importante, alguém famoso pelos seus feitos ou pelo seu poder.

Ter uma vida com propósito, uma vida onde você tem amor pelo que faz e o seu trabalho impacta positivamente a vida de muitas pessoas. Uma vida onde você deixa um legado.

Uma vida totalmente acima da média, uma vida que parece quase um sonho.

Se identificou com alguma dessas frases que eu recebi? Concorda com todas elas ou com algumas?

Para entendermos um pouco melhor, vamos começar pelo básico…

O que significa algo lendário?

Segundo a Wikipedia, lenda é uma narrativa fantasiosa transmitida pela tradição oral através dos tempos.

Para o dicionário, é algo tão fabuloso que pode não ser considerado real.

Os sinônimos para Lendário são: fantástico, histórico, imaginário, ficcional, célebre, notório.

Logo, uma Vida Lendária é uma vida que foi tão notória, que gerou tanto impacto, que permaneceu viva na mente das pessoas que passaram de geração em geração seus feitos, suas conquistas e sua contribuição com o mundo.

Foi uma vida com tanto propósito, realizações e significado que não parece real.

Vou dar alguns exemplos de pessoas que tiveram uma vida lendária:

Pessoas ligadas a espiritualidade nós tivemos:

  • Jesus;
  • Gandhi;
  • Maomé;
  • Madre Teresa;
  • Paulo de Tarso.

Na ciência:

  • Albert Einstein;
  • Charles Darwin;
  • Nikola Tesla;
  • Isaac Newton;
  • Stephen Hawking.

No empreendedorismo:

  • Bill Gates;
  • Steve Jobs;
  • Walt Disney;
  • Henry Ford;
  • Andrew Carnegie.

Na filosofia:

  • Sócrates;
  • Aristóteles;
  • Séneca;
  • Platão;
  • Nietzsche.

Eu vou parando por aqui para não ficar muito extenso, mas acredito que você pegou a ideia.

Esses que falei aqui não estão em ordem cronológica nem em ordem de importância, são apenas alguns nomes que você provavelmente conhece.

O que todas essas pessoas de diferentes séculos e até milênios tiveram em comum?

Uma vida lendária!

Talvez fique ainda mais claro o que é uma vida lendária se pensarmos no oposto.

O que é o oposto de uma vida lendária?

Talvez você diga uma vida medíocre. Você sabe o que é uma vida medíocre?

A palavra mediocridade apesar se ter uma conotação pejorativa e um status de ofensa, é apenas uma constatação e, às vezes, óbvia.

Ser medíocre é ser mediano, é aquilo que está na média entre dois termos de comparação. Ou seja, que não é bom nem mau, que não é pequeno nem grande. Tem características do que é comum, ordinário e insignificante.

Ser medíocre significa não ter qualidades ou habilidades suficientes para se destacar naquilo que se propõe a fazer, seja na vida pessoal ou profissional.

Uma pessoa medíocre é vulgar, tem poucas qualidades, é uma pessoa pobre do ponto de vista intelectual.

Mas Alan, se esse episódio é sobre uma Vida Lendária, por que você está falando sobre uma Vida Medíocre?

Porque uma Vida Medíocre é o oposto de uma Vida Lendária.

E uma vida medíocre não é uma vida de merda. Uma vida de merda ainda te incomoda ao ponto de te mover em direção a vida lendária. 

Agora, uma Vida Medíocre nem isso faz. Ela é confortável, você tem todas desculpas que precisa para ficar nela. Afinal você não está ruim, só não está tão bom.

Ela é uma areia movediça que te engole sem você nem perceber…

Deixar de viver é pior que morrer

Um poeta gaúcho chamado Mario Quintana uma vez escreveu:

“Um dia pronto, me acabo. Seja o que tem de ser. Morrer que me importa? O diabo é deixar de viver.”

Ele não foi o único que disse isso. No episódio passado (Aprendendo a Morrer) eu comecei falando a seguinte frase:

“As pessoas vivem como se não fossem morrer nunca, e morrem como se não tivessem jamais vivido.” 

Uma frase dita por Dalai Lama, um líder espiritual do Tibete que provavelmente nunca teve contato com Mario Quintana e que nasceu e viveu em um cultura diferente, chegou a uma conclusão bem parecida com a do poeta.

E se você começar a procurar por isso, você vai encontrar diversos autores, de diversas crenças, nacionalidades e séculos diferentes que falam a mesma coisa.

Deixar de viver é pior que morrer!

Mas afinal, quando deixamos de viver?

Deixamos de viver quando nos rendemos ao piloto automático, quando entramos no modo zombie, quando viramos escravos das nossas vontades.

Para você criar mais consciência e fugir da mediocridade eu vou descrever algumas características de uma pessoa que tem uma vida medíocre:

1. Não assume responsabilidade

Põe sempre a culpa do problema ou da ineficiência nas situações ou pessoas.

Na cabeça dela, ela está na situação que está única e exclusivamente pelas circunstâncias.

Foi por ter nascido na família, cidade, estado ou país errado. Por não ter tido condições financeiras. 

A culpa é sempre de alguém ou de algo.

Mesmo quando os outros reconhecem que a falha foi delas, elas dão um jeito de se justificarem.

“Sim, foi minha culpa, mas só por que o fulano de tal não me avisou.”

2. Entrega o mínimo possível

Entrega somente o que se pede, do jeito que pedem, nada mais, nada menos. 

Elas colocam o mínimo de esforço possível só para não terem problemas.

É o aluno que passa nas provas com as calças na mão e tira só a nota suficiente para poder passar na média.

É o funcionário que só faz o que foi descrito nas suas atividades. E ele faz o mínimo mesmo sabendo que se não fizer um passo a mais ele pode gerar um grande problema.

Ele não está preocupado com isso e vai fazer apenas o que foi solicitado. Se der algum problema, certamente não é culpa dele.

3. Não tem iniciativa

Pessoas medíocres estão no piloto automático, são zumbis, logo só respondem a poucos estímulos. São pessoas desligadas, frequentemente cometem erros bobos pela falta de atenção.

Não sabem o que significa motivação intrínseca, elas são movidas por motivações extrínsecas básicas, necessidades fisiológicas como comer e fazer sexo, necessidades sociais e de segurança.

Elas nunca chegam nas necessidades superiores da pirâmide de Maslow como autoestima e auto-realização, elas sucubem aos desejos mais básicos e permanecem presa a eles.

Elas ficam indo de um lado para o outro entre prazer e distração. 

Do vídeo game pro almoço, do almoço pra série na Netflix, da série da Netflix pro lanchinho da tarde, do lanchinho pro Instagram, do Instagram para o Facebook, do Facebook para a janta, da janta para o filme antes de dormir, e finalmente antes de dormir dá mais uma olhada nas redes sociais. Ao acordar olha as redes sociais e volta para sua rotina medíocre.

Elas evitando a dor no curto prazo a todo custo.

4. Não assume riscos

Risco é sinônimo de desastre, não conseguem assumir riscos ainda que calculáveis.

Pessoas medíocres são extremamente presas ao que elas consideram seguro. Elas não tomam riscos, mas sofrem com isso porque o maior risco na vida é não assumir nenhum risco.

Elas escolhem o emprego aparentemente mais seguro possível, depositam seu futuro nas mãos de outra pessoa ou do governo, achando que possuem seus direitos assegurados.

O pior é quando chegam na velhice e descobrem que sua aposentadoria não foi liberada, pois o governo alterou os requisitos e a pessoa já não se encaixa mais neles.

Isso aconteceu com alguns familiares que por muito tempo se preocuparam comigo.

Hoje minha esposa e eu ajudamos eles, mas por toda vida eles acharam que estavam seguros porque estavam contando com o governo.

A maioria das seguranças são uma ilusão, vamos pegar alguns dados para comprovar isso.

Suas chances de morrer nos seguintes meios de transportes são:

  • 1 em 8.5 milhões para Avião;
  • 1 em 500 mil para pular de Bungee jumping;
  • 1 em 140.845 para andar de Bicicleta;
  • 1 em 101.083  para quem pula de Paraquedas;
  • 1 em 18.800 para quem anda de Carro;
  • 1 em 626 para quem anda de moto.

Sabe o que é mais louco? O risco de morte de pedestre é igual ou maior ao risco de moto de acordo com 2 pesquisas que eu consultei.

Ou seja, você que acha que moto é extremamente arriscado.

Entretanto, quando você faz o seu trajeto a pé atravessando ruas para pegar um ônibus ou um Uber, você está correndo o mesmo risco estatisticamente do que um motociclista. 

Conheço pessoas que morrem de medo de andar de avião, mas ele é quase 500x mais seguro que um carro, mas essa mesma pessoa se sente muito mais segura em um carro.

Conheço pessoas que morrem de medo de andar de moto, mas se você está acima do peso, sua chance de morrer é 300x maior do que alguém que anda de moto.

Pra você ter uma noção, se você está acima do peso sua chance de morrer aumenta 50%. Se você está acima do peso você é praticamente um morto vivo.

Doenças cardíacas e derrames superam em 15x os acidentes de todos os meios de transportes somados.

Mesmo assim, você continua ignorando a sua saúde física e mental, mas se preocupando com outras coisas bem menos fatais.

Eu trouxe esses dados para quebrar algumas crenças que possa ter sobre segurança e te mostrar como muita coisa é uma ilusão ou falta de informação.

Lembre-se: O maior risco da vida, é não assumir risco nenhum. É morrer sem nunca ter vivido.

5. É pessimista

O medíocre também é um pessimista nato. Essa pessoa vai encontrar sempre defeitos. Ela está sempre enxergando o lado negativo em tudo, sempre esperando pelo pior.

Essa pessoa normalmente defende seu pessimismo afirmando:

“Eu não sou pessimista, eu sou realista.”

Mas mal sabem elas que nós criamos nossa própria realidade através das crenças e histórias que nutrimos.

Então se a realidade que ela está vendo é uma realidade pessimista, isso é porque ela continuamente se alimenta de informações negativas.

Pode analisar, uma pessoa pessimista ignora uma notícia boa.

Ela tá com a TV ligada no Datena, no jornal mais sangrento que tiver na TV. Eu tenho algumas pessoas assim na família. 

Quando eu dou uma notícia boa pra eles, uma notícia de algo que fiz que deu certo eles praticamente ignoram.

Mas se eu falo alguma coisa negativa, eles ficam extremamente curiosos, querendo saber todos os detalhes.

6. É ingrata

Pessoas medíocres são ingratas. Nada do que você faz é bom suficiente para elas.

Vivem reclamando de tudo e de todos.

Pessoas ingratas vivem reclamando

Pessoas ingratas cobram retribuição de todas pessoas que elas já ajudaram.

Elas fazem questão de lembrar aqueles que já ajudaram sobre o quanto “se esforçaram” por eles, e que em algum momento terão que devolver o favor.

7. Sonha pequeno

Já ouviu a frase: “Pensar pequeno ou pensar grande dá o mesmo trabalho”?

Se ela é verdade, por que pessoas medíocres continuam sonhando pequeno?

Simples, elas não querem falhar.

Pessoas medíocres odeiam palavras como errar ou falhar. Então elas estabelecem metas medíocres para poder alcançar com facilidade, com pouco esforço.

Fernando Pessoa, o maior poeta da língua portuguesa, uma vez escreveu: 

O homem é do tamanho do seu sonho.

Se você sonhar pequeno, vai ser pequeno.

8. Desiste facilmente

Eu estou lendo um livro chamado Garra. Em uma frase a autora Angela Duckworth escreveu:

Era a combinação de paixão e perseverança que fazia com que as pessoas bem-sucedidas fossem especiais. Numa palavra, elas tinham garra. 

As pessoas medíocres não tem garra, assim que chega os obstáculos elas pulam fora.

Eu percebi nesses 10 anos como empreendedor que os meus amigos que resistiram não foram os mais inteligentes, os com mais recurso financeiro, os com dom pra negócio.

Foram os com garra para não parar, aqueles que iam até o fim.

Lembro que uma vez estava dando tudo errado nos negócios e eu disse pra Indi: “Eu vou trabalhar até sangrar, mas eu não volto de forma alguma pra vida que tínhamos antes”.

Eu trabalhei por 8 anos de domingo a domingo cerca de 15h por dia ou mais.

As pessoas que me conheceram nessa época lembram que mesmo em churrascos eu estava lá com meu computador trabalhando, até em eventos, eu estava com o notebook pra lá e pra cá trabalhando.

Mesmo hoje estou aqui há 13 horas trabalhando em conteúdos para esse projeto Vida Lendária. 13 horas seguidas trabalhando aqui nesse projeto.

Criando conteúdos, gravando vídeos, gravando podcast.

O nome disso é garra. E pessoas medíocres não possuem. Elas desistem assim que aparece um motivo plausível para isso.

Hoje é domingo, eu trabalhei a semana toda sem parar na empresa, eu teria a desculpa perfeita ao dizer, preciso descansar, só essa semana eu não vou gerar conteúdo.

Vai ser apenas uma vez, uma exceção. Mas é exatamente assim que começa, logo a exceção vira a regra.

As pessoas medíocres não são comprometidas. Elas vivem na exceção.

As frases preferidas delas são:

  • “Só hoje”;
  • “Essa é a última vez”;
  • “No próximo ano”;
  • “Da próxima vez”;
  • “Semana que vem”.

Elas são escravas de seus desejos, impulsos e pensamentos. Elas possuem desculpas para todas as situações e sempre jogam a mudança que sabem que precisa ser feita para o futuro.

9. É arrogante

Uma pessoa medíocre olha para sua mediocridade, sua ordinariedade e de alguma forma se enxerga superior.

Nos olhos dela ela é acima da média e sabe muito mais do que as outras pessoas, e muitas vezes sobre qualquer assunto.

Uma pessoa com essa características costuma:

  1. Interromper os outros com muita frequência, afinal o que ela tem para falar é sempre mais importante;
  2. Acreditar que é superior aos outros;
  3. Ofender as pessoas mesmo sem querer;
  4. Fazer questão de mostrar que os outros estão errados;
  5. Não aceitar opiniões contrárias, muito menos a possibilidade de estar errada;
  6. Falar sempre que pode sobre os próprios feitos e qualidades;
  7. Se preocupar excessivamente com a própria imagem.

Normalmente uma pessoa arrogante se defende dizendo que tem personalidade forte.

Se você diz isso, que você tem personalidade forte, pare de se enganar, se você se encaixa no que eu falei acima você não tem personalidade forte.

Você é arrogante, ponto final.

Eu mesmo preciso me cuidar para não me encaixar algumas vezes nessa característica 9.

10. Pensa muito no próprio umbigo

Por natureza, nós somos  centrados em nós mesmos e nas nossas necessidades.

Mas você já deve ter percebido que algumas pessoas exageram nesse ponto. São aquelas pessoas que sempre colocam seus interesses acima do interesse de todos.

Se não for do jeito dela, ela não quer, mesmo que isso prejudique os outros.

É aquela pessoa no dia a dia que quer sempre levar vantagem: fura fila no supermercado, anda no acostamento pra evitar o trânsito e pega a última fatia antes de perguntar se alguém ainda não comeu.

Também é o tipo de pessoa que vem te visitar e quer impor o ritmo dela, os horários e o tipo de comida que ela gosta. E se você não fizer tudo como ela quer, ela vai ficar furiosa.

No trabalho, é aquela pessoa que não se importa com os outros colaboradores. Ela pega todas as bolachas da mesa (mesmo que não vá comer) só pra não deixar as outras pessoas pegarem.

Ela espera a ajuda de todos, mas nunca estende a mão e ajuda alguém.

Ela trabalha em grupo, mas quando a equipe tem sucesso, ela puxa todo o crédito da vitória pra si. E quando a equipe falha, adivinha, a culpa é de todo mundo, menos dela.

Vou parando por aqui, existem muitas outras características de uma pessoa medíocre, mas essas 10 já vão servir para fazermos um contraste com uma pessoa lendária.

Se identificou com algum dos itens?

Não se preocupe se sua resposta foi sim, é normal se identificar com algum desses pontos.

Eu também me identifiquei com algumas coisas enquanto escrevia o roteiro deste episódio.

Eu Lendário X Eu Medíocre

Todos nós somos medíocres em algum nível.

Mas tome cuidado para não usar o que eu acabei de falar aqui para ficar rotulando outras pessoas de medíocres.

Até porque, é muito fácil ficar rotulando os outros.

Então, ao invés de criticar os demais, reconheça a mediocridade em você. Não se esqueça que a única pessoa que você pode mudar é você mesma.

Bom, eu passei tanto tempo falando sobre características de uma pessoa medíocre, pois existem duas aí dentro de você.

Existe o eu lendário e existe o eu medíocre.

É importante você reconhecer o eu medíocre, porque a mudança começa acontecer quando aceitamos nossas falhas.

Uma fábula dos índios Cherokee ilustra bem essa dualidade:

Ela começa assim…

Certo dia, um jovem índio cherokee chegou perto de seu avô para pedir um conselho.

Momentos antes, um de seus amigos havia cometido uma injustiça contra o jovem e, tomado pela raiva, o índio resolveu buscar os sábios conselhos daquele ancião.

O velho índio disse:

“Eu também, meu neto, às vezes, sinto grande ódio daqueles que cometem injustiças sem sentir qualquer arrependimento pelo que fizeram. Mas o ódio corrói quem o sente, e nunca fere o inimigo. É como tomar veneno, desejando que o inimigo morra.”

O jovem continuou olhando, surpreso, e o avô continuou:

“Várias vezes lutei contra esses sentimentos. É como se existissem dois lobos dentro de mim. Um deles é bom e não faz mal. Ele vive em harmonia com todos ao seu redor e não se ofende. Ele só luta quando é preciso, e de maneira reta.”

“Mas o outro lobo… Este é cheio de raiva. A coisa mais insignificante é capaz de provocar nele um terrível acesso de raiva. Ele briga com todos, o tempo todo, sem nenhum motivo”.

“Sua raiva e ódio são muito grandes, e por isso ele não mede as consequências de seus atos. É uma raiva inútil, pois sua raiva não irá mudar nada. Às vezes, é difícil conviver com estes dois lobos dentro de mim, pois ambos tentam dominar meu espírito.”

Então o garoto, curioso, perguntou: “E qual deles vence?”

Ao que o avô sorriu e respondeu baixinho: “Aquele que eu alimento.”

Os dois lobos que nos habitam

Simples, mas profunda essa fábula, não acha?

É muito fácil se tornar medíocre, o mundo constantemente te diz para ser medíocre.

“Trabalhe menos”, dizem seus amigos e familiares, “aproveite mais a vida”.

Eu me pergunto, aproveitar a vida é ficar olhando faustão domingo a noite?Porque é isso que eles fazem.

“Pra que estudar tanto? Vai ficar maluco”.

Sim, já me disseram isso. Sabe o que essas pessoas têm em comum?

Todas elas possuem uma vida medíocre.

Escute o que pessoas lendárias tem para falar e ignore as medíocres.
Mas Alan, como eu vou fazer isso se todos a minha volta são medíocres?

Por um tempo eu também não tive escolha, quase todos a minha volta eram medíocres.

Sabe o que eu fiz?

Eu fiquei amigo dos livros, dos podcasts, dos canais no YouTube.
Eu escutava apenas pessoas que eu considerava extraordinárias.

Isso me fez muito bem, me fez silenciar o meu lobo mal, o meu eu medíocre.

Meu eu medíocre não morreu, ele vai viver pro resto da vida comigo.

Vencer seu eu medíocre começa logo ao acordar, quando você decide se vai apertar para dormir mais 5 minutos ou vai pular da cama.

O eu lendário contaria até 3 e pularia da cama, o eu medíocre vai ficar apertando várias vezes no botão soneca.

O seu eu lendário vai acordar cedo, ter uma rotina matinal, o eu medíocre vai acordar o mais perto possível da hora de ter que sair para trabalhar e dar uma espiada nas redes sociais antes de sair.

Alguns dias o eu lendário vai ganhar, outros o eu medíocre vai ganhar.

Você é quem você mesmo alimenta. Toda vez que você diz sim para o seu eu lendário, você se torna mais lendário.

Como tudo, se tornar lendário é um processo. Um processo de vencer a si mesmo diariamente.

Saia do modo piloto automático, saia do modo zumbi e alimente o seu eu lendário que existe dentro de você.

Talvez ele esteja fraco, talvez você passou tanto tempo da sua vida alimentando o eu medíocre que o eu lendário tenha pouca força, mas comece hoje e comece aos poucos.

Sonhe grande, mas comece pequeno.

Logo você vai perceber a mudança que isso vai causar na sua vida. Você vai começar a ter uma Vida Lendária.

Lembre-se sempre: o ser vem antes do ter.

  • Para ter muito dinheiro, antes você precisa ser rico;
  • Para ter uma pessoa maravilhosa ao seu lado, antes você precisa ser uma pessoa maravilhosa;
  • Para ter sucesso, antes você precisa ser uma pessoa de sucesso.

Quando a ordem é invertida o ter não é sustentável.

Uma pessoa que ganha dinheiro fácil, normalmente perde ele facilmente também. Ela não desenvolveu a mentalidade para conseguir manter seu recurso financeiro.

É só observar a história de ganhadores da mega sena, ganhadores de Big Brother. Normalmente eles perdem tudo, ou quase tudo.

Se uma pessoa maravilhosa, uma pessoa lendária, se apaixonar por você, mas você for uma pessoa extremamente medíocre, egoísta, pessimista, acomodado é só uma questão de tempo até esse relacionamento acabar.

Em tudo na vida é assim, eu poderia continuar dando vários exemplos, mas para resumir, sempre que você inverter a ordem, você vai perder.

Primeiro seja, para depois ter.

Portanto, antes de ter uma vida lendária, você vai precisar ser uma pessoa lendária.

E uma pessoa lendária é o contrário da pessoa medíocre.

Então é uma pessoa que:

  1. Assume responsabilidades;
  2. Entrega sempre mais que o esperado;
  3. Tem iniciativa;
  4. Assume riscos;
  5. É grata;
  6. Tem garra;
  7. Sonha grande;
  8. É humilde;
  9. Tem propósito;
  10. Tem prazer em servir ao próximo.

Se você alimentar mais vezes o eu lendário que existe dentro de você do que você alimenta o eu medíocre essa vai ser a vida que você vai ter: uma vida com paz, amor, propósito, realizações, evolução e legado.

Cada pessoa é única e vai ter uma Vida Lendária diferente, mas essa sempre vai ser a essência.

Agora vou fazer uma pergunta simples, que você deveria se perguntar diariamente, mas acredito que faz muito tempo que não se pergunta ou talvez nunca tenha feito isso. Preparado? 

Aqui vai…

O que você quer?

“Como assim Alan?” É isso mesmo: O que você quer?

O que você quer da sua vida? O que você deseja alcançar? Quem você quer se tornar?

Mas não deixe o eu medíocre responder.

Ele vai responder algo como:

  • Ganhar o suficiente para ter uma vida boa;
  • Morar em lugar que eu me sinta mais seguro;
  • Terminar de quitar a minha casa;
  • Sair do aluguel;
  • Ser alguém de sucesso;
  • Ser alguém poderoso.

Isso são todas respostas medíocres. Deixe o seu eu lendário responder. O que o seu eu lendário quer?

Essa pergunta realmente não é tão fácil assim de responder, mas a resposta dela vai guiar toda a sua vida. Então é muito importante você conseguir responder ela.

E eu quero te ajudar a responder essa pergunta. Para isso  vou te fazer outras perguntas pra você refletir e assim poder desenhar a sua vida lendária. Combinado?

Se você está dirigindo, fazendo academia, lavando a louça, ou fazendo qualquer atividade nesse momento que não te permite pegar um caderno e uma caneta ou anotar no celular, sem problema, mas depois escute de novo.

Aqui vão as perguntas…

  • O que te incomoda no mundo? 
  • Você pode fazer algo sobre isso, mesmo que seja em uma escala pequena?
  • Quais pessoas ou qual causa você quer ajudar?
  • O que é uma vida abundante pra você?
  • Quem você gostaria de se tornar se você soubesse que não iria falhar?
  • Onde você estaria morando e o que estaria fazendo se você tivesse R$ 10.000.000 de reais na sua conta? 
  • Quem são suas referências? Quem são seus mentores? Quem te inspira? Por quê?
  • O que você gostaria que seu filho ou uma pessoa que te admira falasse sobre você após a sua morte? Qual impacto positivo você gostaria de ter deixado nessa pessoa?

Responda essas perguntas com calma e da forma mais sincera possível, mas acima de tudo, responda com o seu eu lendário.

A intenção com essas perguntas não é descobrir o propósito da sua vida. E sim apenas dar uma direção pra você.

Encontrar o propósito, encontrar a sua vida lendária é o caminho, não é um destino.

Eu li centenas de livros e fiz dezenas de cursos de desenvolvimento pessoal, incluindo 3 cursos focados especificamente em missão de vida e propósito.

Um deles eu estou concluíndo e possui 25h de conteúdo, 35 conceitos e 35 exercícios que demandam muita reflexão e tempo para fazer.

E mesmo assim a impressão que eu tenho é que minha jornada só está começando.

Eu não falo isso para me gabar ou para te desincentivar, eu falo isso para você entender e aceitar que é uma jornada, um processo, o caminho.

Eu estou nessa jornada há 5 anos e tenho propriedade pra te falar: É uma jornada incrível e extremamente recompensadora.

Se você se sente um pouco perdido sobre isso fica tranquilo. Faz parte da minha missão de vida estar aqui para te ajudar a encontrar e viver a sua Vida Lendária.

Conta comigo nessa jornada!

Bom, esse episódio vai ficando por aqui.

Eu espero de coração que essa série de 4 episódios tenha te dado clareza sobre quem você é, para onde você quer ir e como eu posso te ajudar.

O Vida Lendária está só começando e eu quero ajudar pessoas através do podcast e dos posts aqui no blog.

Você também pode fazer parte desse movimento e me ajudar a trazer mais pessoas para o lado lendário da vida.

Se esse conteúdo está te ajudando então compartilhe ele com seus amigos, seus familiares, as pessoas que você acredita que podem se beneficiar deste conteúdo.

Obrigado por compartilhar seu tempo precioso comigo e esse conteúdo.

E fique com essa pergunta na cabeça: O que você realmente quer? Já tem alguma ideia? Conta para mim nos comentários!

Continue Lendo

Mais >